O Camaleão Azul

Atual Editora
Ilustrações: Denise Rochael

Uma turminha incumbida de fazer um trabalho escolar sobre uma Feira de Coisas Exóticas descobre um animalzinho que muda de identidade até o dia em que vê sua própria imagem refletida no espelho. Magia, camaradagem e aventura são os ingredientes dessa história que chega à quarta edição reescrita pelo autor 20 anos depois da primeira publicação pela Editora Lê.

Fortuna Crítica

“O Camaleão Azul é um dos bons textos que Jorge Fernando dos Santos escreveu. É uma das estórias juvenis mais interessantes que já li” – Cunha de Leiradella, Suplemento Literário do Minas Gerais, 1989.

“Com o objetivo de realizar um trabalho escolar, Juquita e seus colegas vão a uma Feira de Coisas Exóticas e encontram ali um camaleão azul que, segundo o dono, não pode ser fotografado ou ver sua própria imagem refletida em um espelho… pronto! Está aí o convite à aventura!!! Com uma linguagem leve, acessível e marcada por traços de oralidade nas falas das personagens, este livro oferece ao leitor além de uma boa aventura, uma oportunidade de lidar com a questão da identidade” – site Ao Mestre com Carinho, 2007.

“Apesar da clara mensagem defendida no texto, o argumento do autor não é moralista, no sentido depreciativo do termo. Estabelece diálogos positivos e abertos, sobre situações cotidianas, abordando dilemas importantes para a faixa etária a que se destina” – Janaina Cunha Melo, caderno Pensar, Estado de Minas, 2007.

“Com uma linguagem leve e acessível, o livro oferece ao leitor não apenas uma boa aventura, mas também a oportunidade de, por meio da fantasia, lidar com questões presentes em sua formação, como a questão da identidade” – Correio de Uberlândia, 2007.

“Com uma linguagem leve, acessível e marcada por traços de oralidade nas falas das personagens, oferece ao leitor não apenas uma boa aventura, mas também a oportunidade de, por meio da fantasia, lidar com questões presentes na formação do jovem leitor” – site da XIII Bienal do Livro do Rio de Janeiro, 2008.

“Magia, camaradagem e aventura são os ingredientes dessa história que chega à quarta edição reescrita pelo autor 20 anos depois da primeira publicação pela Editora Lê” – Bragança – Jornal Diário, 2008.

“Com sabor de aventura, mistério e fantasia, a obra envolve o leitor do início ao fim” – site Cybelar, 2008.

Voltar

4670221

 

Regina Duarte: a “namoradinha do Brasil” celebra 50 anos de carreira | Sem Censura | TV Brasil | Notícias

Veja a página do livro

Desconcerto

Deu RAP na Embolada

Dupla Sertaneja

Escala Diatônica

O Cravo e a Margarida

Orquestra Animal

Família Cordofônica

Percussionice

Rock do piano