Condomínio Solidão

5/5
Menção honrosa no Concurso Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte 2012

condominio solidao

Caravana Editorial
Capa: Élen Márcia de Souza

Condomínio Solidão é um romance ambientado no Conjunto Kubitschek, mais conhecido como Edifício JK, emblemática obra de Oscar Niemeyer na capital mineira. Jorge Fernando dos Santos escreveu o livro no curto período em que morou lá. Enquanto se dedicava a outros projetos, mexeu várias vezes no original até chegar à presente edição. O resultado é uma obra de metalinguística, com dezenas de personagens, cada qual contando a própria história. Com a cumplicidade do leitor, o autor tece uma trama de suspense, cujo último nó desvenda um intrigante mistério.

Fortuna crítica

“Cada capítulo deste livro é um cenário, uma vida, uma janela que se descortina para a vastidão da cidade que, ainda sonhada em perfeição, é um mosaico, vitral, trama erigida pelo raro ofício de quem, matreiro, sabe enredar o leitor às últimas consequências, até as páginas finais, e apresentar um novo horizonte, talvez não tão belo, mas mesmo assim novo, surpreendente” – orelha do editor Leonardo Costaneto, em 2020.


“Jorge constata que a ideia utópica de Niemeyer de misturar classes e estabelecer novas convivências se tornou complexa nos dias em que a tecnologia rege as interações sociais” – Pablo Pires Fernandes, Dom Total, 2020.


No seu livro-reportagem, vi vários livros. Pela riqueza dos personagens, se você quisesse, poderia formar com cada um deles um romance. Lembrou-me Nelson Rodrigues e sua coluna no extinto Última Hora, “A vida como ela é”. Sua argúcia como jornalista e o talento como escritor completam-se numa obra instigante –Airton Guimarães, em mensagem ao autor, 2020.


“A trama é cheia de pistas escorregadias, com suas múltiplas vozes e um tema: a vida em um prédio com mais moradores que várias cidades mineiras. Jorge Fernando dos Santos capturou a atmosfera do Conjunto JK… Uma leitura que nos enreda de capítulo em capítulo até o desfecho” – Luís Giffoni, Clube do Livro, CBN, 2021.


“Amei a maneira como você aborda temas como a solidão, a injustiça, a maldade e o preconceito, só para citar alguns, além da perspectiva histórica e crítica que ecoa ao longo do livro. Acho que você criou não apenas um romance muito original e criativo, mas também muito pertinente em sua atualidade” – Ana Cecília Carvalho, mensagem ao autor, 2021.


Voltar

 

Roberta Molina, Paulos Live, 2020

4670221

 

Regina Duarte: a “namoradinha do Brasil” celebra 50 anos de carreira | Sem Censura | TV Brasil | Notícias

Veja a página do livro

Desconcerto

Deu RAP na Embolada

Dupla Sertaneja

Escala Diatônica

O Cravo e a Margarida

Orquestra Animal

Família Cordofônica

Percussionice

Rock do piano