Futebol tem dessas coisas

A vitória de um a zero da Espanha sobre a Alemanha nas semifinais desta Copa do Mundo provou mais uma vez que a voz do polvo é a voz de Deus. Segundo a imprensa esportiva, até agora o bicho de oito pernas acertou todos os prognósticos feitos sobre os jogos da África do Sul, revelando-se um adivinho mais competente que o próprio Nostradamus.

 

A eficiência do novo profeta é tamanha que lideranças do PT e do PSDB poderiam contratá-lo para sabermos quem vai vencer as eleições presidenciais deste ano. A bem da verdade, vale observar que a careca do Serra lembra a cabeça de um polvo, enquanto os tentáculos do poder petista na máquina estatal têm tudo a ver com o famoso molusco.

 

Voltando ao esporte bretão, não sei se é coincidência ou o quê, mas toda vez que o locutor anuncia que quem está na Globo está na Copa, estou justamente na cozinha da minha casa. Afinal, alguém tem que lavar os copos de cerveja depois da partida… De qualquer maneira, como defensor dos frascos e comprimidos, torci pelos times mais fracos, a começar pela seleção brasileira.

 

No jogo entre Uruguai e Gana, fui mais o segundo time, cujos jogadores fizeram jus ao nome do seu país, disputando a partida sempre com muita gana. Não fosse a falta de sorte, estariam nas finais. Entre Alemanha e Uruguai, vou torcer para que o segundo fique em terceiro lugar, naturalmente.

 

Já na partida entre Espanha e Holanda tudo pode acontecer. Afinal de contas, são duas equipes poderosíssimas e muito técnicas, de futebol imprevisível. Não precisa ser Galvão Bueno pra saber que uma das duas equipes será campeã do mundo.

 

Chamo atenção para o baixíssimo saldo de faltas entre Espanha e Alemanha. Tanto, que o juiz teve pouco trabalho. Isso ocorreu porque os dois times têm muita disciplina e sangue frio, ao contrário dos sonecas comandados por Dunga, que ficaram zangados na última hora mas não me deixaram feliz.

 

Enquanto isso, dependendo das conclusões do inquérito policial em andamento, o goleiro Bruno poderá trocar o Flamengo pelo Bangu. Não o Bangu Atlético Clube, que há 50 anos venceu o Torneio Mundial de Nova York, mas o famoso complexo prisional de segurança máxima do Rio de Janeiro.

Este post tem 3 comentários

  1. Cláudio Martins

    “O goleiro Bruno poderá trocar o Flamengo pelo Bangu”
    Isso foi demais, viva seu humor! – Cláudio

  2. Daniel Valadares Macedo

    Jorge,
    A Espanha chegou e um touro se perdeu. A Alemanha teve uma recaída e seus meninos se lembraram que não cresceram. No próximo domingo, não há dúvida: perdem as gaivotas.
    Abraços, Daniel

  3. Dário Borim

    Jorge,
    Que bom ler seus textos sobre a Copa e Paulo Moura. Sobre o esporte, confesso que mergulho de corpo e alma na disputa, vivo aquilo tudo com muita alegria e entusiasmo com a família e amigos. Celebro com paixão a existência desse esporte maravilhoso e desse evento que transforma as vidas de tanta gente mundo afora. Quanto a Paulo Moura, fico sem jeito de dizer o quanto amo sua música e sua contribuição para a excelência do nosso cancioneiro e da nossa arte sem rótulos de tão rica e tão multifacetada. Parabéns pelas duas crônicas– divertidas, pessoais e poéticas. Forte abrço, Dário

Deixe um comentário