O talento musical de Marcelo Jiran

O primeiro a me falar de Marcelo Jiran foi Paulinho Pedra Azul. Foi no ano passado, durante nossa participação no Salão do Livro do Vale do Aço. Ele elogiou muito o jovem parceiro, com o qual vem trabalhando há algum tempo.

 

Agora chega às minhas mãos o CD Porta-retratos, no qual Jiran interpreta músicas próprias em variados ritmos, inclusive duas parcerias com Paulinho, além de dois clássicos da MPB.

 

Independente, como a maioria dos bons discos produzidos em Belo Horizonte, Porta-retratos é pouco mais que um demo, mas funciona como preciosa mostra da polivalência desse músico mineiro de admirável talento.

 

Rodas de choro

 

Mesmo no início de carreira, Jiran já desfruta do respeito e da admiração dos colegas veteranos, sendo presença destacada principalmente nas rodas de choro da cidade. É um dos mais jovens membros do Clube do Choro, sendo também uma de suas mais notáveis atrações.

 

O disco é uma produção caseira e foi gravado, mixado e masterizado no “Quarto Som Studio” pelo próprio Jiran. Fora as participações especiais de Juninho (baixo elétrico na faixa 4) e Serginho Silva (percussão nas faixas 4 e 9), é ele quem toca os mais diversos instrumentos nas 12 músicas gravadas.

 

Piano elétrico, escaleta, percussão, flauta transversal, saxofone alto, bandolim, guitarra, cavaquinho, violões de 6 e de 7 cordas… Difícil dizer qual desses instrumentos o jovem músico domina com maior destreza.

 

Riqueza melódica

 

Outra coisa que chama atenção é a riqueza melódica das composições de Marcelo Jiran, começando pelo Choro na praça e desaguando na bossa-novíssima Ilusões, que tem cheiro de mar e remonta aos tempos do Beco das Garrafas.

 

As interpretações do samba Com que roupa? (Noel Rosa) e do choro Brejeiro (Ernesto Nazareth) são igualmente criativas e revelam o senso de um bom arranjador. Jiran é antes de tudo um grande conhecedor da tradição musical brasileira, e faz disso sua escola.

 

Com tanta porcaria tocando no rádio e na TV, ou vendendo nas lojas (inclusive virtuais), é uma pena que discos como Porta-retratos e talentos como Marcelo Jiran não estejam ao alcance do grande público. Quem quiser adquirir um ou mais exemplares deve pesquisar na internet. Site do artista: www.marcelojiran.com.br .

 

* Publicado no site www.domtotal.com.br

 

Deixe uma resposta