Aquilo deu nisso – 3

Saudade do Ayrton

(Paródia de “Saudade da Bahia”, de Dorival Caymmi)

 

Ai, ai que saudade do Ayrton Senna

Ai, vejo o Rubinho e sinto muita pena

Bem, esse menino é mesmo um marcha lenta

A gente torce e o coração rebenta

Mas o seu carro vive sempre atrás do alemão

 

Ai, se eu não torcesse tanto não sofria

Ai, essa carroça sempre dá defeito

Ai, Galvão Bueno todo satisfeito

Ainda diz que tá tudo direito

Que o rapaz, capaz, ainda pode vencer

 

Ponham-se no meu lugar

E saibam que eu vi Fittipaldi correr

Primeiro grande campeão

Depois chegou a vez do Nélson Piquet

Vejam que falso o Galvão

E lembrem do Ayrton naquela explosão

Pobre de quem acredita

Que o carro do Rubinho ainda vai vencer

 

 

 

Deixe uma resposta