Palmeira Seca


Em 1998, quando meu romance Palmeira Seca foi adaptado para o teatro, o cineasta Breno Milagres teve a idéia de fazer uma adaptação para a TV. A Minissérie foi gravada em 2001, em convênio com o Sated/MG, e televisionada pela Rede Minas, em janeiro de 2002. Eu e Chico Lobo nos encarregamos de fazer a trilha sonora, que incluiu também duas parcerias com Valter Braga. O disco foi gravado nos estúdios HP, com várias participações, entre elas o percussionista Carlinhos Ferreira, que fez um belo trabalho. A distribuição é do selo Karmim.


Repertório

Alma Caipira – Instrumental (Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos)
Palmeira Seca (Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos), com Cid Ornelas
Terra Firme – Instrumental (Chico Lobo)
De Formiga e Cigarra (Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos), com Renato Motha e Tatá Sympa
Lenda Mineira (Valter Braga e Jorge Fernando dos Santos), com Efraim Maia e Ladston do Nascimento
Água Boa – Instrumental (Chico Lobo)
Devaneio (Jorge Fernando dos Santos), com Helena Penna
Fogo Vivo – Instrumental (Chico Lobo)
Marruá (Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos), com Déa Trancoso e Tino Gomes
Vento Vasto – Instrumental (Chico Lobo)
Meu Velho (Valter Braga e Jorge Fernando dos Santos), com Valter Braga e Renato Motha
Tempo Todo – Instrumental (Chico Lobo)
Alma Caipira (Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos)


 

Clique para ouvir
Clique e ouça
em MP3
 

Palmeira Seca
(Chico Lobo e Jorge Fernando dos Santos)

Ora a água apaga o fogo
Ora o fogo seca a água
Essa vida é um jogo
Cada qual com sua mágoa
Duas margens prendem o rio
O curral cerca a boiada
Vem o vento e traz o frio
Feito ave em revoada

Ora a chuva faz enchente
Ora a seca mata o pasto
Vem o tempo e leva a gente
A vereda é um mundo vasto
No roçado do meu peito
Semeei uma paixão
Pra colher um amor perfeito
Que domasse a solidão

O destino é um vento bravo
Que detrói nossa ilusão
Faz com a morte um conchavo
Muda a sorte num clarão
Na poeira do caminho
Nenhum rastro sobrevive
Palmeira não tem espinho
E um amor eu nunca tive

(Meu São Jorge me abençôa...)