Incluído no catálogo da FNLIJ para a Feira de Bolonha, Itália

 
Pó de Palavra
Editora Paulinas
Ilustrações: Luiz Maia

O haicai é a concepção máxima (do ponto de vista estético) e mínima (no sentido de quantidade) da poesia de origem japonesa. Nesse tipo de poema, também chamado de haiku, o desafio do poeta é dizer o máximo de coisas com o mínimo de palavras.
O primeiro haicai conhecido data do século XIII e é atribuído a Fujiwara no Sadaiye. No entanto, o primeiro mestre desse gênero literário foi Matsuo Bashô (1644-1694). Outros autores importantes foram Taniguchi Buson (1715-1785) e Issa (1763-1827).

O haicai conquistou adeptos em todo o mundo e influenciou muitos autores nacionais. No livro Pó de Palavra, que vem acompanhado de um CD no qual o autor fala os 48 poemas com músicas de Kristoff Silva, Jorge Fernando dos Santos aborda quatro temas distintos, divididos em quatro partes intituladas Ciranda das Cores, Sinfonia dos Bichos, Cenas Urbanas e As Quatro Estações.

 

Crítica

"O resultado são haicais, poesia de origem japonesa...
Sua poesia consegue suavizar até mesmo cenas urbanas, carregadas de cinza, de buzinas e apitos, de motores e britadeiras, em sua música concreta; passa pela dureza da vida da cidade, com seus maltrapilhos mirando manequins na vitrine, como se fosse um espelho às avessas; ou com seu menino viciado em cola de sapateiro e com os pés descalços. Mais que a forma propriamente dita, esse gênero de poesia prima pela impressão que procura causar no leitor. E como causa! Se tanto é dito em poucas e profundas palavras, imagine as ilustrações! Com bico de pena nos traços, Luiz Maia arrematou a criação de Jorge Fernando com a mesma suavidade, sem perder o seu característico tom de brincadeira - tem até um sol nascendo - de chupeta. O artista usou poucas cores e, para chegar ao fundo suave, com manchas aqui e ali, substituiu a tinta pelo chá-mate diluído em água" - Maicon Rodrigues, Folha Blumenauense, 2006.


"Nesta obra, o autor procura exercitar o haicai com a aguçada percepção de um arqueiro que observa a natureza. Ao mesmo tempo, ele brinca com questões sociais, preservação da natureza, entre outros. O livro é dividido em quatro partes, cada um com 12 poemas, e ainda inclui suporte fonográfico, com haicais falados e música de Kristoff Silva" - Audrey Bezera, Amazonas em Tempo, 2006.

"Um livro para todas as idades e que leva o leitor pelas mãos a conhecer uma escrita sintética e pura com toda a arte do Japão, neste ano do centenário da imigração ao Brasil", Diário do Grande ABC, 2008.