A descoberta
do planeta azul

                                                     Jorge Fernando dos Santos

           Certa vez, no distante futuro, quatro astronautas do planeta B612 foram enviados ao espaço sideral, cada qual numa espaçonave. O objetivo das quatro missões era descobrir planetas na imensidão da Via Láctea.
            Algum tempo depois do lançamento dos foguetes, os quatro astronautas comunicaram à base espacial de B612 que estavam prontos para aterrissar em planetas até então desconhecidos.
            O primeiro astronauta pousou sua nave num imenso oceano azul, repleto de peixes, baleias e corais. Por isso mesmo chamou o planeta que havia descoberto de Água.
            O segundo astronauta estacionou seu foguete num grande deserto cheio de dunas amarelas e, embevecido com a paisagem, batizou aquele novo mundo com o nome de Areia.
            Enquanto isso, o terceiro aterrissava sua espaçonave sobre uma calota polar completamente branca, que se perdia de vista como um picolé gigante. E isso fez com que ele chamasse o lugar de planeta Gelo.
            Já o quarto astronauta desceu com sua aeronave numa imensa floresta tropical, cheia de árvores frondosas, flores coloridas e animais exóticos. Chamou sua descoberta de planeta Verde.
            Assim que os quatro viajantes espaciais se comunicaram com os cientistas de B612, receberam ordens para retornar à base de lançamentos, onde deveriam oficializar as descobertas e dar por encerradas suas respectivas missões.
            Os quatro astronautas voltaram felizes para casa, onde foram recebidos com uma grande festa. Por ordem do governo central de B612, foram condecorados como heróis do espaço. Afinal, graças a eles, as quatro missões haviam alcançado pleno sucesso.
            Mas o inesperado aconteceu. Um sábio chamado Galelau concedeu entrevista à imprensa e declarou que, pelos seus cálculos matemáticos e observações astronômicas, os quatro astronautas haviam descido no mesmo planeta. Claro que ninguém acreditou nele, pois era um cientista aposentado e na certa estava com inveja dos jovens heróis do espaço.
            O tempo passou e Galelau, cada vez mais velho e cansado da teimosia de seus complanetários, acabou morrendo sem que ninguém lhe desse ouvido. Muitos anos depois, um quinto astronauta partiu de B612 em missão de reconhecimento aos planetas descobertos pelos quatro astronautas anteriores.
            Devido à avançada tecnologia de seus equipamentos, o novo viajante do espaço pôde finalmente constatar que as teorias do sábio Galelau estavam corretas. Os quatro astronautas anteriores não haviam descoberto quatro, mas apenas um novo mundo.
           O terceiro planeta do sistema solar era repleto de oceanos, desertos, geleiras e florestas, contendo uma infinidade de espécies animais e vegetais. Por essa incrível variedade de paisagens, era o planeta mais belo e mais rico de toda a Via Láctea. Sua cor era azul e seus habitantes o chamavam simplesmente de Terra.



Voltar